Henrique Veiga pede ajuda ao Governo no encerramento do congresso

Por a 15 de Novembro de 2006 as 6:30

Depois da leitura das conclusões, o presidente da AHP, Henrique Veiga pediu ajuda ao Governo em seis pontos estruturais: legislação laboral, imagem de Portugal, revisão da legislação específica deste sector, alavancagem de grandes fluxos, formação e sinalização.
Sustentando que “os investidores e empresários fizeram o trabalho de casa”, e que trabalharam na “qualificação dos recursos humanos e na qualificação do produto; nas técnicas e em tácticas de optimização de receitas; na diminuição de custos; e descobriram a ferramenta essencial da Internet”, Henrique Veiga, começou por pedir ajuda ao Governo na flexibilização da legislação laboral. “Nós não conseguimos mexer na nossa linha estrutural se não tivermos capacidade de alterar a legislação laboral”, disse.

A questão da “imagem do país” foi o segundo vector focado. O presidente da AHP afirmou que “existe um gap grande entre o que o conseguimos e o valor acrescentado que a marca Portugal pode trazer se for reconhecida de outra forma”.

O terceiro ponto – a revisão da legislação específica deste sector – foi definido como muito “importante para alterar as variáveis de gestão deste sector”.
O quarto pedido de apoio do líder da AHP foi no sentido de o Governo ajudar os empresários na alavancagem de grandes fluxos, justificando que “os hoteleiros apenas têm capacidade para serem bem sucedidos nos pequenos fluxos.

A finalizar, Henrique Veiga recordou a responsabilidade partilhada público-privada no que diz respeito à formação, e chamou a atenção do Governo para o impacto que a falta de sinalização pode deixar no turista que nos visita.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *