RENA critica “falta de planeamento” no encerramento do espaço aéreo no S. João

Por a 16 de Junho de 2017 as 11:24

A RENA – Associação Representativa das Companhias Aéreas em Portugal veio esta sexta-feira, 16 de Junho, criticar a decisão da ANAC – Autoridade Nacional da Aviação Civil de encerrar o espaço aéreo no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, na noite de S. João por motivos de segurança, acusando a agência de “falta de planeamento e actuação atempada”.

Em comunicado, a RENA diz entender “que a segurança da operação aeroportuária é prioritária” mas critica o facto da decisão ter sido tomada “a meros 12 dias do evento”, numa reunião para a qual “não foram convocadas” as companhias aéreas que operam no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

“A decisão foi tomada em 12 de Junho de 2017, ou seja, a meros 12 dias do evento, quando é referido na própria acta da reunião que os factos que levaram a esta decisão são conhecidos desde 2015 e 2016”, destaca a RENA, considerando que “esta decisão mostra um completo desrespeito pela operação das companhias aéreas e pelos passageiros das mesmas, fruto da falta de planeamento e actuação atempada por parte da ANAC”.

Apesar das criticas, a RENA garante que as companhias afectadas “tudo farão para minimizar os transtornos que a decisão causará aos passageiros” e diz esperar que, no futuro, “estas decisões sejam tomadas com antecedência razoável e envolvendo as companhias no processo decisório”.

Recorde-se que a ANAC decidiu, por motivos de segurança, encerrar o espaço aéreo no terminal aeroportuário do Porto, uma interdição que vai vigorar na noite de S. João, entre as 21h45 de 23 de Junho e as 01h00 do dia 24, até uma altitude de 10.000 pés.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *