Área Metropolitana do Porto vai ter novo centro de congressos

Por a 18 de Março de 2017 as 14:13
centro congressos Maia

Em Maio, a Área Metropolitana do Porto vai contar com um novo centro de congressos. Localizado concretamente no concelho da Maia, o empreendimento destina-se à organização e gestão de eventos particulares empresariais e institucionais que implica um investimento superior a 1,8 milhões de euros.
Com uma área total de 12 mil metros quadrados, a nova estrutura está localizada a menos de um quilómetro do Aeroporto Francisco Sá Carneiro.
O projecto do Gobalio Gardens , da responsabilidade do arquitecto Hugo Silva, assenta na reabilitação de uma moradia, a que se juntam dois novos edifícios, nomeadamente um salão de eventos e um pavilhão de serviços, que estarão dotados das mais modernas tecnologias. A intervenção está também a ser realizada nos arranjos exteriores, que interligam os edifícios à área dos jardins, aos percursos pedonais que rodeiam a quinta, ao anfiteatro natural virado para um lago recreativo e ainda à pista de aterragem para helicópteros.
A estrutura inicial, em fase de adaptação, é uma moradia com 220 m2 totalmente equipada com sala, bengaleiro e suites para hospedagem. Por sua vez, o espaço multi-funções compreende uma nave de 420 m2 totalmente climatizada que permite diversas soluções de layout interior. O salão é ladeado por espelhos de água, inclui piscina aquecida no pátio interior e uma área onde poderão ser feitas projecções de vídeos com som integrado. Já o pavilhão de serviços, com uma área de 430 m2, inclui uma sala de degustação, balneários e uma cozinha para a realização dos serviços de catering com a capacidade para fornecer 300 refeições em simultâneo.

Com a construção da responsabilidade da Agremarco, o Gobalio Gardens dispõe ainda de parque de estacionamento privativo com capacidade para 65 lugares.

Um comentário

  1. João Paulo Oliveira

    18 de Março de 2017 at 15:06

    Equipamentos com qualidade são sempre bem vindos e contribuem para o crescimento da Meetings Industry. Mas é importante que se tenha presente que a Área Metropolitana do Porto precisa de um equipamento verdadeiramente estruturante e com outra ambição. Sobretudo porque entretanto, Lisboa, dorme à sombra da bananeira.

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *