Governo disponibiliza 5M para animação turística, congressos e eventos

Por a 31 de Janeiro de 2014 as 12:54

Adolfo Mesquita Nunes, secretário de Estado do Turismo, anunciou, esta sexta-feira, na abertura do 2º Congresso da APECATE – Associação Portuguesa de Empresas de Congressos, Animação Turística e Eventos, que acontece em Lisboa, uma dotação orçamental de 5 milhões de euros da linha de apoio à qualificação da oferta para as empresas de animação turística, organização de eventos e congressos.

“Não estou a criar uma nova linha, nem a anunciar novos montantes, trata-se de reservar 5 milhões de euros desta linha para estas empresas”.

Segundo o responsável, esta ferramenta surge no âmbito da decisão de pôr termo à “minorização das empresas de animação turística, organização de eventos e congressos”, pois nos últimos anos “as condições que o Estado oferece têm sido sobretudo direccionadas para a construção, hotelaria e grandes empresas”. Adolfo Mesquita Nunes identificou três áreas prioritárias neste sector: Financiamento, capacitação das empresas e na articulação das empresas com outros organismos públicos.

Esta sub-linha vigorará até ao final de 2015 e “visa apoiar quer as novas empresas quer as empresas que estão a lançar novos projectos. Dirigida a projectos até 300 mil euros, terá custos de financiamento mais favoráveis que o regime geral da linha de qualificação da oferta de forma a compensar a dificuldade de acesso a financiamento”, anunciou o responsável.

Na ocasião, o secretário de Estado do Turismo recordou que, com o novo diploma que entrou em vigor em Agosto de 2013 e que simplifica as condições de acesso e de exercício da actividade das empresas de animação turística e dos operadores marítimo-turísticos, foram criadas 187 novas empresas, um aumento de 14% comparativamente com 2012. Adolfo Mesquita Nunes considera que hoje existem 1668 empresas que são “grandes responsáveis pela transformação do nosso país num destino mais diversificado e mais competitivo”.

 

Um comentário

  1. António Gomes

    12 de Fevereiro de 2014 at 19:36

    Este senhor devia ter vergonha de ser Secretário de Estado do Turismo! A única coisa que soube fazer até agora foi destruir os recursos humanos de Alta Qualidade que se formavam no nosso país, acabar com a certificação e abrir as portas a empresas de pessoas, muitas vezes, sem qualquer formação, que acham que trabalhar em turismo é “giro”! Quando as coisas correm mal o turista não sabe onde se dirigir porque nenhuma entidade é responsável por coisa nenhuma! Temos o sacrossanto Mercado que tudo deve regular, baixam-se os rendimentos dos profissionais numa concorrência absolutamente selvática, num vale tudo sem nexo. Chega-se ao ridículo de querer converter os Profissionais de Informação Turística – Guias-Intérpretes Nacionais em “animadores turísticos” (só falta mesmo declará-los Bobos da Corte), e caso não aceitem fazer o seu registo como tal terão de pagar o seu bilhete de ingresso nos monumentos para poderem fazer uma visita guiada a um grupo! Ou seja vão de pagar para trabalhar… seria como obrigar os médicos a pagar a taxa moderadora para poderem dar consultas!!!

Deixe aqui o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *